Blog Instituto Mix
Escrito por Instituto Mix Tempo de leitura: aproximadamente 4 minutos.

Ir na praia, no clube, entrar nas piscinas dos amigos, ou compartilhadas em parques aquáticos no verão, é algo normal na estação mais quente do ano. Porém, como todos nós já estamos cansados de saber, não vivemos em tempos “normais”. A pandemia alterou muitos comportamentos que antes era comuns em nossa rotina.        

Para se refrescar neste verão, muita gente tem se indagado quanto as piscinas e até onde elas podem ser “ferramentas” de contaminação. Afinal: é seguro deixar que a família frequente uma piscina?            

A resposta, mais simples nesta questão, é: depende! Sua piscina ainda pode ser usada, desde que você respeite as condições de isolamento social necessárias e tome alguns cuidados para garantir a segurança de todos. Neste artigo vamos listar alguns cuidados fundamentais para evitar não somente a Covid-19, mas outras doenças também.  

Para aproveitar as piscinas mantenha o nível de cloro entre 1 e 3 ppm


Somente a água não é capaz de matar o coronavírus. A água pura na sua piscina pode permitir a proliferação de micro-organismos e contaminar as pessoas que entram nela. Para que isso não ocorra, é preciso que o nível de cloro adequado seja mantido.            

O cloro é muito eficaz para eliminar vírus envelopados e grande parte das bactérias que existem no planeta. No entanto, é preciso que sua aplicação seja realizada com certa frequência. O ideal é colocar o cloro na piscina de três em três dias ou menos, caso a utilização dela seja frequente, como costuma acontecer no verão.                    

Em geral, uma piscina deve conter entre 1 e 3 partes por milhão (ppm) de cloro. Para saber quanto a sua precisa, calcule o volume total de água e meça o teor de cloro já presente nela com um estojo de teste.       

Bordas e laterais das piscinas merecem atenção


Não é só a água da sua piscina que precisa de cuidados para evitar o coronavírus. Sua área de lazer também pode se tornar um foco de contágio. Portanto, é preciso higienizar o espaço com frequência.            
Pode ser usado um produto especial para o trabalho, como um “limpa pedra”. Indicado para superfícies porosas, ele evita a impregnação da sujeira no piso. Para completar, utilize um “limpa borda” nas beiradas da piscina, seja ela de vinil, fibra ou alvenaria.              

Lembre-se de limpar também os móveis e acessórios. O coronavírus sobrevive até três dias em superfícies de plástico, enquanto na madeira e no alumínio ele pode permanecer por até quatro dias. Então, higienize a área de lazer sempre que for utilizá-la e logo após sua utilização.          

Antes de entrar na piscina: ducha!


Além da água da piscina e da área de lazer, é preciso pensar na higiene das pessoas que frequentam esses espaços.            

Mesmo quem não apresenta sintomas pode estar infectado e passar o coronavírus para outras pessoas. Por isso, oriente todos a tomarem duchas antes de entrarem e depois de saírem da piscina.              

Em geral, o vírus é transmitido pelas gotículas de saliva que expelimos quando tossimos, espirramos ou falamos. Dessa forma, os pontos do corpo que merecem mais atenção são as mãos.              

Outro detalhe importante é não compartilhar toalhas e outros itens de uso pessoal. Eles devem sempre ser devidamente higienizados antes que outras pessoas possam utilizá-los.  
             

Evite aglomerações!


Infelizmente, as festas nas piscinas com vários convidados ficarão suspensas por algum tempo. Até o momento, o isolamento social se provou a medida mais eficaz no combate ao coronavírus e, portanto, é preciso evitar aglomerações para reduzir os riscos de transmissão. O isolamento social deve ser feito apenas com pessoas que moram na sua casa. Por isso, somente elas poderão usar a piscina ao longo desse período.                

Caso você more em um condomínio, é importante garantir que a limpeza da piscina seja feita corretamente, com os níveis de cloro adequados, e tomar os demais cuidados que listamos ao longo deste artigo antes de entrar e depois de sair da água. Lembrando que é sempre bom limitar o uso destes espaços por precaução. Aliás, o ditado já diz que “é melhor prevenir do que remediar”.                  

Também como já mencionamos, o vírus pode sobreviver nas gotículas de saliva expelidas pela fala. Por isso, é essencial manter uma distância mínima de 4 m de outras pessoas, mesmo dentro da água. Procure horários alternativos para usar a piscina, evitando momentos agitados, como nos finais de semana. Caso o condomínio tenha fechado a área comum, é importante respeitar as orientações e não utilizar o espaço.   
          
Por fim, evite frequentar as piscinas de academias e clubes, caso esses estabelecimentos ainda estejam em funcionamento na sua região, ou tem voltado recentemente. Lembre-se que estamos enfrentando um novo pico no número de casos, em uma nova onda.              

Não use as piscinas em caso de suspeita de coronavírus


Um dos grandes problemas da Covid-19 é que seus sintomas se parecem com os de uma gripe comum. Tosse, febre e dificuldades para respirar são os principais deles. Então, você deve estar atento a qualquer sinal de alerta. Pessoas que apresentarem os sintomas não podem utilizar a piscina e devem ser colocadas em quarentena dentro de casa.                  

O ideal é que fiquem em um cômodo separado e reduzam ao máximo o contato com os demais moradores para evitar que eles também contraiam o vírus.

Powered by Rock Convert
O que achou do artigo?
Quer receber mais conteúdos como esses gratuitamente? Cadastre seu e-mail e receba nossos conteúdos!