Blog Instituto Mix
Escrito por Instituto Mix Tempo de leitura: aproximadamente 2 minutos.

O brasileiro adora acompanhar as tendências tecnológicas e em especial a evolução de um aparelho: o smartphone! Com preços que variam de R$ 1.500 até valores próximos a casa dos R$ 10 mil não é todo mundo que consegue trocar de celular toda a hora quando um aparelho cai no chão e quebra, por exemplo. Por isso o conserto de celulares cresce no mercado da tecnologia.

A população sempre que pode “equipa” seu celular com capinhas e películas, que nem sempre são totalmente eficazes. Os smartphones se tornaram indispensáveis para a maioria dos trabalhadores que utilizam o equipamento para realizar operações e recursos dos mais variados aplicativos. É inevitável que, uma hora ou outra, deixemos ele cair no chão ou aconteçam outros tipos de acidentes.

Há quem já deixou o celular rolar escada abaixo, derramou café, deixou quicar na calçada e, acredite, deixou cair no vaso sanitário. Sim, acontece! Dependendo do estrago as vezes compensa realizar o conserto. Devido ao alto valor empregado no aparelho grande parte da população investe em reparar o celular.

Problemas comuns

Na lista de problemas que costumam ser resolvidos em estabelecimentos especializados em conserto de celulares estão a troca da tela, que quebra facilmente em quedas ou com o impacto de algo pesado sobre o celular, a queima de componentes, que também são frequentes, além de outro item que pode fazer o proprietário surtar se vier a pifar: a câmera!

O preço médio dos consertos varia entre R$ 200 e R$ 300, mas podem ultrapassar os R$ 1 mil dependendo da situação do aparelho. Se pensarmos em celulares que custam pelo menos cinco vezes, ou muito mais este valor, o conserto é uma opção não só econômica, mas inteligente.

Existem estabelecimentos especializados que fazem até 100 atendimentos por dia. Um setor que “comemora” a paixão brasileira pelo smartphone e pelo dinheiro suado também. De acordo com dados levantados por essas lojas de reparos, apenas 5% dos aparelhos não têm mesmo solução, aí o proprietário vai ter que investir em um novo, infelizmente. Nos outros casos, sempre dá para salvar.

Partiu se especializar?

Sabendo da paixão dos brasileiros por celulares, alguns até mesmo com dois aparelhos, e dos prováveis acidentes de “percurso” que podem acontecer com eles, muitas pessoas estão optando por abrirem comércios especializados nesse segmento.

Mas se você acha que é algo fácil ou rápido, se engana. Como qualquer profissão que lida com tecnologia é preciso estudo e aperfeiçoamento para lidar com esses aparelhos cada vez mais tecnológicos e sensíveis as falhas humanas. O famoso “jeitinho brasileiro” não se aplica nesses casos.

Cada modelo é uma realidade, cada marca possui suas particularidades, estar preparado para lidar com algo delicado e que contém tantas informações pessoais de um cliente é algo de grande responsabilidade.

Empresas de cursos profissionalizantes como o Instituto Mix de Profissões já estão se preparando para essa realidade, oferecendo em breve um curso nessa área específica.

Vale a pena?

Você deve estar se perguntando, mas afinal vale a pena investir em uma loja de conserto de celulares? A resposta é sim! Como já mencionamos, muitos brasileiros investem um bom dinheiro em celulares de última geração e esperam ficar com eles pelo menos algum tempo, em média de quatro a cinco anos.

Quem tem mais recursos troca sempre que pode, quase anualmente. Já para a maioria o investimento em um bom celular se deve pelo fato das suas capacidades técnicas e de ferramentas, e pela durabilidade.

Mas os acidentes são inevitáveis e uma hora o dono do celular terá que buscar uma loja especializada. Dependendo do conserto, os valores podem variar de R$ 50 até R$ 1 mil. Ainda assim, para alguns modelos, o conserto valerá mais a pena do que comprar um novo, financeiramente falando.

Um negócio em alta, lucrativo e que trará para você a sonhada independência financeira. Que tal? Partiu começar um negócio próprio de conserto de celulares?

Powered by Rock Convert
O que achou do artigo?
Quer receber mais conteúdos como esses gratuitamente? Cadastre seu e-mail e receba nossos conteúdos!