Blog Instituto Mix
Escrito por Instituto Mix Tempo de leitura: aproximadamente 4 minutos.

O consumidor com medo de sair para muito longe de casa e evitar estabelecimentos muito frequentados, optou por voltar a comprar nos famosos mercadinhos. O comércio de bairro, obviamente, sentiu os efeitos da crise. Mas também percebeu que clientes, alguns velhos conhecidos, voltaram a frequentar o local.

A busca por comodidade e segurança em tempos de pandemia tem atraído os consumidores para os pequenos negócios de bairro. A impressão de quem vê os mercadinhos e lojas de roupas mais cheios é confirmada por uma pesquisa realizada por institutos especializados em comportamento do mercado.

Dados observados pelas pesquisas


Entre os aspectos mais relevantes, indicados pelas pesquisas, que atraem os consumidores aos negócios de bairro estão o fato de ter poucas pessoas no local (60,2%), o comércio ser perto de casa (59,6%), preços semelhantes aos grandes estabelecimentos (53,3%), cumprimento das medidas sanitárias (47,8%) e não ter filas para entrar (44,9%).

Ainda de acordo com a pesquisa, cerca de 74% dos brasileiros dizem que continuarão seguindo essa recomendação para evitar aglomerações mesmo quando a recomendação de isolamento terminar.

Empreendedores estão otimistas com as vendas do comércio


Grande parte dos estabelecimentos sentirão de algum modo os efeitos da pandemia, mas outros também sentiram um efeito reverso. Com os pagamentos de auxílios, liberação do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) e outros benefícios, o comércio local viu as vendas darem um suspiro.

Em alguns o faturamento aumentou em cerca de 40% no período de pandemia. De acordo com entrevistas realizadas com alguns desses comerciantes, eles citam que não fizeram nenhum tipo de divulgação em rede social ou promoção específica para atrair mais clientes na pandemia.

O que mudou foi o jeito de atender, sempre com distanciamento, dando atenção ao cliente e passando a sensação de segurança.

Proprietários se programaram para o pior!


Alguns dos proprietários, vendo a pandemia se alastrar pela China, depois nos países da Europa e nos Estados Unidos, sabiam que seria questão de tempo para que a crise atingisse o continental solo brasileiro.

Os mais atentos e precavidos chegaram a tomar medidas preventivas como algumas medidas para reduzir custos. Mas, no final das contas, as mudanças de hábito provocadas pela Covid-19 trouxeram uma nova dinâmica para o negócio de acordo com a pesquisa.

O comércio de bairro começou a receber muito mais clientes que antes, ficando nítido o receio do consumidor aos grandes centros de compras. A maior parte da clientela, aproximadamente 70% a 80%, são de vendas presenciais.

As vendas via delivery, também cresceram consideravelmente e a capacidade de adaptação dos comerciantes foi surpreendente.

Bairros têm poder econômico e são fundamentais para o comércio das cidades


Dados das pesquisas do segmento de comércio dos estados brasileiros, mostram que os negócios de bairro estão entre os principais agentes geradores de renda e de desenvolvimento da região onde estão instalados.

Eles se caracterizam pela proximidade e hospitalidade do empreendedor junto aos seus clientes e promovem as diferentes culturas em um só bairro.

Dicas para quem pretende empreender nos bairros


O empreendedor precisa estar em dia com a gestão financeira não só em momentos de crise. Isso significa implantar controle de caixa, fluxo de caixa e DRE (demonstrativo do resultado do exercício).

Em um primeiro momento pode parecer complicado, mas é muito importante. Assim, é possível avaliar se a empresa está saudável, além de ter a possibilidade de analisar indicadores importantes, como ponto de equilíbrio, margem de lucro, comportamentos de custos variáveis e fixos.

Marketing é fundamental para a sobrevivência do comércio de bairro


Promova sua empresa. Diante de tanta concorrência, sua dedicação deve ser maior neste momento. Aprenda a tirar boas fotos dos seus produtos, use o storytelling (técnica para contar a história do seu produto ou marca) e crie conexão com o seu cliente.

Dedique-se a conhecer as ferramentas digitais de geolocalização, como Google Meu Negócio, Waze e plataformas que promovem o pequeno negócio no bairro. Cursos profissionalizantes também ajudam você a se inteirar das novidades e gerir as suas próprias mídias por meio das redes sociais.

O marketing digital é um aliado poderoso, mais do que nunca, o seu cliente está on-line e de olho no que o estabelecimento está colocando em promoção, como diferencial, sua responsabilidade social, entre outros.

Destaque-se: não seja mais do mesmo!


Faça diferente! Inovar pode ser colocar na prateleira, no site ou na vitrine um produto totalmente novo ou que ainda não era trabalhado pelo seu negócio, desde que ele gere valor percebido pelo cliente.

Você pode inovar no marketing, no modelo de negócio, no processo de produção. Não importa o momento econômico, o cliente gosta de novidades, de descobrir novas soluções para suas necessidades.

Hora de investir para empreender é agora!


Bancos e instituições financeiras estão com boas taxas por causa do momento em que vivemos. Para você que sonha empreender, talvez a hora seja agora! Mais do que saber o caminhos das pedras, é fundamental ter uma qualificação profissional.

Citamos o exemplo do Instituto Mix de Profissões, uma das maiores redes de ensino profissionalizante do Brasil, que além de oferecer mais de 100 cursos, ajuda o aluno a ingressar no mercado de trabalho. Ajudando-o com o seu primeiro negócio ou aperfeiçoando o que já existe.

O que achou do artigo?
Quer receber mais conteúdos como esses gratuitamente? Cadastre seu e-mail e receba nossos conteúdos!