Blog Instituto Mix
Escrito por Instituto Mix Tempo de leitura: aproximadamente 4 minutos.

Empresas aparecem a todo o momento inovando e trazendo ideias revolucionárias em todos os aspectos. Corporações de tecnologia lançam novos aplicativos, redes sociais, ferramentais digitais e faturam bilhões de dólares. Um turbilhão de informações que nos fazem questionar: como trabalhar minha criatividade para acompanhar tudo isso e fazer parte deste novo mundo em construção?

Nem todo mundo tem o seu lado criativo tão desenvolvido como outras pessoas, logo, não se preocupe se você não se sente criativo o suficiente. Saiba que a criatividade é um processo que precisa ser trabalhado. Funciona, basicamente, como a lógica da academia. Seus músculos vão reagir ao excesso de peso que você levanta na musculação crescendo, se fortificando, para poderem levantar ainda mais carga.

O mesmo, em tese, funciona com seu cérebro. Se você o estimular para pensar e o desafiar, ele aos poucos vai ficando mais forte e poderoso. E como “malhar” o cérebro para melhorar minha criatividade? Vamos as dicas!

Questione-se mais

Vamos partir do princípio de que você é pouco criativo ou tem dificuldades de criar algo quando lhe é solicitado (uma campanha, frase, título, slogan, desenho, história etc). Pessoas pouco criativas tendem a ter, na maioria das vezes, um comportamento padrão que as colocam em uma posição de conforto, e é justamente esse conforto que está atrofiando seu cérebro e impedindo você de pensar fora da caixa.

O primeiro passo para mudar isso é se questionar mais. Por que eu faço o que eu faço? Essa pergunta pode ser referente a ir aos mesmo lugares no fim de semana, a não mudar algo de lugar em casa, sair com os mesmos amigos nos mesmos lugares, evitar o novo, o diferente, aquilo que não conheço ou tenho medo.

É fácil mudar velhos hábitos? Não, não é! Existe um processo cultural, de criação, envolvido na sua trajetória, mas nada que uma pequena dose de força de vontade não mude esse comportamento. Questione-se mais sobre suas atitudes, sobre o que não está legal na sua rotina, o que você queria fazer e não faz, e o porquê disso. “Desatar as amarras” é um bom começo para o processo de liberdade e o trabalho da criatividade.

Quando você quebra a rotina do seu cérebro ele se “obriga” a criar caminhos alternativos, ele pensa, raciocina, para se adaptar aquela nova situação ou realidade, é tudo questão de dar o primeiro passo e ver o que acontece.

A ciência explica a falta de criatividade

Um estudo realizado pela fundação americana Creative Education Fundation, mostra que crianças de até três anos usam mais de 90% da sua capacidade criativa. Estão sempre buscando, explorando, perguntando e criando. Enquanto os adultos acima dos 30 anos empacam os estímulos de criatividade em algo em torno de inexpressíveis 2%. E por que isso acontece?

De acordo com o estudo isso acontece, na maioria dos casos, como nós já mencionamos, por causa do estado de conforto do indivíduo com determinadas situações. Enquanto crianças estão ligadas nos 220V, sempre dispostas a aprender e ir além, quando crescemos nos ajustamos as questões sociais. Padrões comportamentais, religiosos, corporativos e isso, ainda de acordo com o estudo, tem grande impacto na capacidade de criatividade das pessoas.

Muitas vezes nós temos lampejos criativos, ideias e impulsos para fazer algo que, se falarmos abertamente para alguém, poderemos ser taxados de insanos, irresponsáveis ou receber mais críticas do que apoio para por em prática a ideia criativa. O medo da resposta social à nossa criatividade faz com que nos sabotemos o tempo todo.

Se olharmos para a história os homens e mulheres que realizaram grandes feitos foram contra tudo e todos para realizar seus sonhos e colocar a sua mente criativa em primeiro plano, e não a resposta social. Essa é uma das explicações do porquê perdemos tanto a capacidade da criatividade.

Exercícios para ter criatividade

Bem, para ter uma mente poderosa e voltar a ter criatividade a mil, saiba que talvez seja preciso “quebrar regras”. Não estamos falando aqui de cometer um crime ou infringir leis, mas no sentido de não se prender ao “moralmente aceito”, que engessa sua capacidade produtiva. Invista em sua ideia, pesquise para saber se já foi feita, ouse e, outro ponto importante, não tenha medo de errar.

Criatividade serve para explorar o desconhecido e, para isso, precisamos ter em mente que frequentemente vamos errar. Um dos pontos básicos para ampliar nosso potencial criativo é reconsiderar nosso medo de errar, talvez transformando a palavra em “testar”. Não existe resposta certa ou errada. O que existe são possibilidades diferentes. Bacana essa linha de pensamento, não é mesmo? Não há “erro”, há testes bem sucedidos e testes mal sucedidos.

Outro ponto importante é tentar passar algum momento longe do computador (esqueça também o celular). Envolva-se com atividades como ler um livro, ouvir música, desenhar ou passear por um lugar onde nunca tenha ido. Para ser criativo, é essencial deixar a mente fluir sem ser distraído por estímulos externos irrelevantes (um desafio na atualidade).

Durante o dia no trabalho, busque momentos de isolamento e de tranquilidade para deixar a mente vagar e explorar regiões incomuns, esqueça por um tempo do Facebook, do Twitter e dos chats em geral. Você entra com a intenção de ficar 1 minutinho e lá se foram mais de 15 minutos se “atualizando” em todos os seus perfis.

Coragem e descrição são fundamentais

E por último, mas não menos importante, tenha coragem de testar o novo. Seja proativo, siga caminhos diversos, converse com pessoas que não costumava conversar, tenha coragem para debater ideias e ideologias, defenda seus argumentos e, assim, exercite seu cérebro a pensar e estar aberto ao novo. Descrição também é importante.

O que mais existem são pessoas que “surfam” na onda de mentes criativas. Alguém tem uma ideia, a outra pessoa “aprimora” e pronto, sua ideia foi parar distorcida em outro lugar por alguém que tirou proveito da sua criatividade e da base da sua ideia. Não estamos dizendo que você não deve confiar nas pessoas, mas ter cautela e, sempre que possível, manter a descrição.

Resumo: questione-se mais, mude hábitos tóxicos, conheça novas pessoas e lugares, esteja aberto ao novo e quebre barreiras, limites, você irá renovar e abrir a sua mente de volta ao estado criativo. Ah! Se você tem filhos, acessa esse artigo para saber como trabalhar desde já a criatividade dos pequenos e dar um empurrãozinho na sua também.

O que achou do artigo?
Quer receber mais conteúdos como esses gratuitamente? Cadastre seu e-mail e receba nossos conteúdos!