Blog Instituto Mix
Escrito por Instituto Mix Tempo de leitura: aproximadamente 5 minutos.

Os mais novos colaboradores da rede Instituto Mix são de outro país, vindos de milhares de quilômetros do outro lado do oceano atlântico, Isidro de Jesus Maneco Pires e Otília Eunice Gomes Moreira vieram de Angola, desembarcaram no Brasil rumo ao município de Araranguá, no sul de Santa Catarina, onde passaram um dia inteiro conhecendo as instalações da franqueadora Instituto Mix e se capacitando para a nova e desafiadora responsabilidade: levar a marca IM para a província de Benguela, na Angola.

Isidro é gerente comercial e encara o desafio com muita expectativa, ele sabe o quão importante é esse projeto tanto para os franqueados quanto para a marca Instituto Mix. “É uma expectativa enorme, porque vamos levar uma nova experiência ao nosso país, então estão todos a espera disso, trabalhando em todos os setores e processos com muita vontade”, conta Isidro.

Otília que é a nova coordenadora pedagógica está ansiosa com a nova responsabilidade, ela conta que: “a experiência está sendo muito boa, positiva e vamos ver o que podemos levar daqui para aplicar em nossa realidade em Angola”.

Primeiras impressões

Tanto para Otília quanto para Isidro, a viagem foi repleta de aprendizados. Antes de vir até a sede da franqueadora eles puderam visitar uma das unidades que é destaque da rede e, por consequência, uma das escolas que mais possuem alunos e cursos a disposição. “A visita está sendo muito agradável, passamos pela unidade de Tubarão (Santa Catarina) onde também fizemos treinamentos com os colaboradores de lá e estamos nos esforçando ao máximo para absorver muitas informações para poder repassar tudo isso para lá, em Angola”, ressalta Isidro.

Ambos se sentiram “em casa”, foram recepcionados por todos os setores da franqueadora e cada setor teve a oportunidade de explicar um pouco sobre sua atuação, seu trabalho na rede. Comunicação facilitada graças ao mesmo idioma, a língua portuguesa. Embora o idioma de Angola seja mais próximo do português de Portugal, não houve nenhuma dificuldade nas negociações e, agora, nas capacitações.

“Na área pedagógica temos a praticidade de falarmos o mesmo idioma, mesmo que algumas gírias ou colocações sejam um pouco diferentes, ainda assim é o mesmo português, o que não atrapalhará em nada o aprendizado de nosso aluno. Expectativa muito alta, estamos aqui para aprender e levar daqui toda bagagem necessária para realizar o melhor trabalho possível em Benguela”, afirma a coordenadora pedagógica, Otília Moreira.

Capacitação Comercial

O dia na franqueadora além de visitas, foi de muito treinamento, afinal a data para que a escola esteja aberta ao público em solo angolano é janeiro de 2020. Ambos foram separados de acordo com seus setores e tiveram capacitações com especialistas na área pedagógica e comercial.

Isidro revela que: “teremos sim desafios, mas nada que não faça parte de qualquer setor, normal do mercado. Queremos o quanto antes estar levando aos nossos alunos muito conhecimento, ensino de qualidade, estar transformando as vidas deles por meio do ensino profissionalizante, estar realmente realizando sonhos, é uma missão muito importante”, destaca o gerente comercial.

A consultora comercial da rede Instituto Mix, Mônica Elibio, foi uma das encarregadas de repassar todas as orientações necessárias para a equipe de Angola, em especial as informações do setor comercial. “Eu fiz com ele todo um treinamento da parte operacional de um gerente de uma escola IM, a atuação no dia a dia de um profissional da área, como ele utiliza os planejamentos, o planejamento de metas, o planejamento participativo e também as ferramentas de acompanhamento, por exemplo, tem o planejamento de metas 5W2H, depois ele acompanha esses processos dentro do PDCA, que é a parte de acompanhamento de mídias”, explica Mônica.

Ela também reforçou para a equipe: “como se preenche e como são feitas as analises de TPA, TPO, que são as ferramentas de gestão de equipe, como ele pode retirar o melhor de cada uma dessas ferramentas e como ele pode aplicar isso com a equipe dele, como ele aplica a matriz dois por dois com os orientadores e também tive a oportunidade de mostrar para ele todas as nossas plataformas como a IMTV, o Marketing Place e IMNic por exemplo”, conta a consultora comercial.

Entre os temas abordados na capacitação, também esteve a questão monetária. Mônica destaca que: “os desafios que nós encontramos ao longo dos tramites e que tivemos que analisar bem com os franqueados foi a questão da moeda. Aqui nós utilizamos o Real, lá em Angola a moeda oficial é Kwanza. Então teremos que fazer adaptações na gestão, para adequar a realidade da moeda deles e claro, um processo de adequação cultural também, começar os processos, começar os procedimentos, para que nós possamos fazer uma avaliação de como o público de Angola, nossos futuros alunos, irão responder aos nossos métodos, já que estamos falando de um outro país, em um outro continente”, ressalta a consultora.

O setor aproveitou ainda para fazer uma espécie de “receita diária” para o bom andamento do trabalho, desde a pré-matrícula, os relatórios utilizados pela rede e otimização do horário na escola.

Capacitação Pedagógica

Tão importante quanto o setor comercial, o setor pedagógico é o responsável por formar nossos futuros profissionais, mas para que eles cheguem até lá motivados e confiantes no curso, é preciso que toda a estrutura pedagógica esteja funcionando bem e falando “o mesmo idioma” do restante da rede. O padrão de qualidade do ensino, reconhecido nacionalmente com prêmios prestigiados no mercado, mostra que somos uma rede com alto padrão de comprometimento com o ensino ofertado ao nosso aluno. Em Angola não será diferente, o setor pedagógico da franqueadora também teve a oportunidade de fazer uma longa capacitação com a primeira coordenadora pedagógica do IM no país.

Profissionais como a Líder de Operações Pedagógicas, Leisa Ramos e o Líder de Treinamentos, Douglas Meurer, foram alguns dos especialista no setor que ajudara a capacitar a equipe angolana. “Nessa primeira oportunidade, podemos apresentar para ela um pouco sobre como funciona a parte operacional do pedagógico, com foco especial nas atividades que o pedagógico deve desenvolver logo após a inauguração, todo o processo operacional após a inauguração e o acompanhamento do aluno após a assinatura do contrato, para que ele venha o mais rápido possível para as escolas e que ele fique de fato na unidade, sinta-se encantado com a escola e curso e acabe se mantendo até o final do curso, assim como fazem milhares de alunos da rede espalhados pelos quatro cantos do país”, conta Meurer.

O Líder de Treinamentos da rede conta que: “ela tinha algumas dúvidas, principalmente na contratação de instrutores, pois lá é um ramo totalmente novo, não há essa veia profissionalizante no país, em Angola há apenas os cursos básicos, como o fundamentais e médio e os cursos superiores, havendo uma carência na oferta de cursos voltados para a área profissionalizante. Não tenho dúvidas que essa carência será um dos grandes propulsores da unidade de Angola e consequentemente no Instituto Mix no país, e que a escola será um sucesso estrondoso, justamente por ser algo novo em Angola e por dar oportunidade para quem não quer, ou não consegue, entrar no ensino superior ou já trabalha na área em questão e quer uma aperfeiçoamento”, destaca Douglas Meurer.

Região em desenvolvimento

Para milhares de brasileiros Angola é história, está no sangue. Grande parcela da população do Brasil são de origem africana e, em especial, origem angolana. A primeira unidade será na populosa província de Benguela, a nona cidade mais povoada do país, com mais de 600 mil habitantes.

A sua localização é estratégica, banhada pelo oceano atlântico, o que a ajudou quanto ao seu desenvolvimento ao longo dos anos. Angola passa por um bom momento econômico, com desenvolvimento do turismo, diversificação da indústria e investimentos em educação, tudo isso, aliado ao mesmo idioma, foram fatores fundamentais para a escolha de Angola para a primeira sede do Instituto Mix fora do Brasil.

O que achou do artigo?
Quer receber mais conteúdos como esses gratuitamente? Cadastre seu e-mail e receba nossos conteúdos!