Blog Instituto Mix
Escrito por Instituto Mix Tempo de leitura: aproximadamente 4 minutos.

Nós, somos seres humanos, como todos os animais existentes no planeta temos emoções diversas, mas diferente dos animais, domesticados ou selvagens, nós (humanos) sabemos lidar com as emoções de várias maneiras e por isso somos o que chamamos de “racionais”. É a razão que costuma nos guiar no trabalho. Mas diz aí, como anda sua inteligência emocional nesses tempos?

Quando fazemos algo pela emoção nem sempre o resultado pode ser positivo. Vamos dar o exemplo de um projeto que você elaborou e que você está empolgadíssimo para divulgá-lo e comunicá-los aos demais colegas dos demais setores da empresa. Você, nesse caso, age na emoção e se esquece de tópicos essenciais que notaria se tivesse utilizado a razão. Exemplos? Vamos lá!

Não enfie os pés pelas mãos!

Ter uma boa inteligência emocional vai te ajudar a superar os desafios diários, tanto em casa na vida pessoal, quanto no ambiente de trabalho. Trabalhar isso é vital para sua carreira e seu relacionamento com as pessoas.

Mas, voltando ao exemplo, quando você não age movido pela razão comete erros como o de se adiantar demasiadamente sem antes ter checado todos os processos e tópicos do seu projeto. Por mais impactante e empolgante que possa parecer seu trabalho, nesse momento você terá que ser criterioso e achar os pontos fracos que talvez você possa não ter notado, ser o mais crítico possível do seu próprio trabalho, assim as chances de você notar “pontos cegos” serão muito mais altas.

Inteligência emocional em tempos de crise

Não é fácil passar por tantas mudanças em tão pouco tempo. Para muitos profissionais o ano de 2020 se mostra um ano desafiador para a carreira profissional. Como passar por tudo isso sem deixar o emocional tomar conta de você e das decisões? Como ser o mais inteligente possível nesse momento? O que ouvir ou a quem seguir?

Realmente são perguntas difíceis! Mas você, ao ler esse artigo, já está fazendo o certo, está buscando conhecimento e o mais importante: está buscando melhorar enquanto profissional e ampliar a sua inteligência emocional.

Em tempos de crise, com tantas mudanças no ambiente corporativo, alguns cuidados são fundamentais para você manter a qualidade de vida. Vamos fazer algumas perguntas para você perceber está sua inteligência emocional está em dia ou se você está agindo da forma errada ou a menos adequada para o momento.

O perigo das “duas caras”!

Um líder, verdadeiramente líder, tem a capacidade de ser sempre o mesmo profissional para vários outros profissionais, sem a necessidade de mudar sua personalidade para conseguir isso ou aquilo. Para resumir, profissionais ou líderes que tem um alto nível de inteligência emocional não usam “máscaras”.

Há uma espécie de senso comum de que as pessoas, quanto mais altos os cargos, principalmente na gestão, escondem quem realmente são, seja pela forma pela qual tratam as pessoas ou como usam um falso carisma para chamar atenção. Um líder emocionalmente inteligente se mostra com o melhor de si, com integridade, honestidade, vulnerabilidade e autenticidade, o mesmo vale para qualquer colaborador.

Resolvo conflitos ou fujo deles?

Outro ponto importante que mostra a maturidade de um gestor, ou colaborador, é sua capacidade de lidar em diferentes situações sejam positivas ou negativas. Trabalhar em um ambiente com pessoas de várias personalidades, gostos e modos de pensar é inevitável, assim como são inevitáveis os conflitos de ideias e interesses dentro da empresa.

Nessas horas o profissional com uma boa inteligência emocional vai saber contornar a situação, primeiramente porque suas ações passam confiança e credibilidade, por ser honesto e não tentar ludibriar os colegas ou, como mencionamos acima, ser “duas caras”. Uma das características de pessoas com inteligência emocional é mediar esses conflitos e resolvê-los enquanto são “marolas”, porque depois podem virar “tsunamis” e os danos podem ser bem maiores para a empresa.

Inteligência emocional com os colegas

A sua maturidade emocional será peça chave no convívio com outros colegas em uma empresa. No começo, seja qual foi o novo desafio, ficamos um pouco tímidos, acanhados e vamos nos soltando aos poucos com os outros colegas. Também aos poucos vamos percebendo o perfil de cada profissional, aqueles que temos mais empatia ou não.

O ponto chave é você ter a inteligência emocional de saber lidar com todas essas pessoas de forma honesta, clara, objetiva e sempre educada. A paciência é para poucos, então tente ser parte desses “poucos”, trabalhe seu emocional para que ele não guie seus caminhos e suas decisões na empresa, mas, principalmente, para que você mantenha uma ótima relação com seus colegas. Afinal de contas é no meio deles que você vai passar boa parte do seu dia e, em muitos casos, mais com eles do que com sua própria família.

Se você está em home office talvez a inteligência emocional seja ainda mais primordial nesse processo, nesse artigo você encontra algumas dicas de como trabalhar da melhor maneira possível no home office e como ele está se tornando tendência no mercado, com isso, teremos que estar preparados para essa realidade.

Atente-se a todos esses cuidados e saiba que todos podem ter uma inteligência emocional incrível, basta trabalhá-la.

O que achou do artigo?
Quer receber mais conteúdos como esses gratuitamente? Cadastre seu e-mail e receba nossos conteúdos!